quarta-feira, 14 de setembro de 2016

GOG no PCLinuxOS

GOG, a antiga Good Old Games, recentemente passou a oferecer títulos para Linux, e, é mais uma ótima opção para diversão no nosso amado sistema operacional livre.

Um pouco de história

Em 1994, Marcin Iwiński e Michał Kicinski fundaram a CD Projekt. Eles inicialmente importavam jogos dos atacadistas nos Estados Unidos e vendiam na Polônia. No final de 2008, CD Projekt lançou GOG.com sob o nome Good Old Games (Bons jogos antigos).
O objetivo inicial era lançar jogos clássicos para um público moderno sem restrições de gerenciamento de direitos digitais [DRM].
Em setembro de 2010, o velho site Good Old Games anunciou que ia fechar. Diversos analistas, jornalistas e gamers cogitaram, pela internet, que seria por causa da venda de produtos sem DRM, o que causaria problemas financeiros. O site, no entanto, era reticente, e, publicou um esclarecimento, no dia 20 de setembro de 2010, dizendo que o site “estaria parando por razões técnicas e de negócios”. A curiosidade e as especulações alcançaram o pico, todos julgavam que a empresa estaria mesmo falindo.
Dois dias depois, o site reabriu e, foi revelado que toda a estória era um truque de marketing. Num comunicado oficial, o gerente do site escreveu: “Primeiro de tudo, gostaríamos de pedir desculpas a todos que se sentiram enganados ou prejudicados de alguma forma pelo encerramento da GOG.com. Como uma pequena empresa que não tem um grande orçamento de marketing, não podíamos perder a chance de gerar algum alvoroço em torno de um evento tão grande como o lançamento de uma nova versão do nosso site e ainda mais importante, trazendo de volta Baldur’s Gate  a vida!”

Mas, a coisa fica melhor

Em 2012, a GOG.com começou a dar suporte ao MacOSX. E, bem antes disso, os fórums do site ficavam recheados de mensagens de Linuxers, reclamando suporte ao Linux.
A empresa sempre respondia que adoraria dar suporte ao Linux, mas, não via um mercado grande para isso.
A coisa mudou de figura em 2014, num anúncio no fórum oficial da comunidade GOG (https://www.gog.com/forum/general/gogcom_now_supports_linux), onde 50 jogos foram inicialmente postos à venda.
Ótimos títulos, com preços muito bons, e, com pacotes .DEB e .RPM e instaladores agnósticos Tar.gz estavam disponíveis, e, em 2015, passaram a ser acompanhados pelo GOG. Galaxy, um cliente a la Steam.
Em 2014, a GOG.com também passou a oferecer filmes sem DRM para venda, o que aumentou o seu leque de produtos.

Como funciona ?

Os bens digitais oferecidos (jogos e filmes) pode ser comprados e baixados on-line e, são distribuídos sem gerenciamento de direitos digitais(DRM free). Ou seja, você compra um bem que lhe pertence, sem data de expiração nem necessidade de clientes proprietários para acessar seus jogos e filmes (ao contrário da Steam, que necessita do Steam client).
O usuário não precisa instalar um cliente especial para baixar ou executar os jogos.
Após o download, o cliente é livre para usar o software para qualquer uso pessoal como a instalação em vários dispositivos,  o arquivamento em qualquer mídia de armazenamento pessoal por tempo ilimitado, modding e aplicação de patches, apenas  com  restrições de revenda e de compartilhamento, o que configuraria pirataria.
Mas, não é só: junto com os jogos, os clientes também são capazes de baixar inúmeros materiais extras relacionados com o jogo que eles compraram. Muitas vezes, estes extras incluem trilha sonora do jogo (algumas em formato FLAC ou MP3), wallpapers, avatares, e manuais. GOG.com também oferece suporte completo ao cliente para todas as compras e uma garantia de devolução do dinheiro dentro dos primeiros 30 dias.

Como tornar-se cliente da GOG

Para tornar-se cliente da GOG, vá em: https://www.gog.com/ . O site tem suporte nativo à Português do Brasil, que você deverá ativar nas configurações de idioma, no rodapé da página.
No site, clique em cadastro, na barra superior


Efetue seu cadastro, com nome de usuário e senha

A partir daí, você terá uma conta na GOG.com. Um e-mail de confirmação será enviado para o endereço de e-mail que você cadastrou.
Uma vez logado em sua conta na GOG, você verá uma tela assim:

Clicando em Conta, na barra superior, as opções Biblioteca, Lista de Desejos, Amigos, Bate Papo, Resposta de Fóruns, Pedidos & Configurações, Carteira e Sair.
Minha Biblioteca, atualmente, tem dois títulos, que ficam listados, como numa prateleira


Na GOG.com você não precisa de dinheiro para começar a usufruir dos produtos, já que diversos títulos são grátis (free download). Estes mesmos que eu comprei, foram gratuitos.
No entanto, há diversos jogos muito bons, e, baratos.
Para comprar estes jogos da GOG,com você precisa abastecer sua carteira (virtual).
Como fazer ? Muito simples.
Clique em carteira, vai abrir a página de gerenciamento da carteira, e, logo abaixo, botões com valores para se adicionar à carteira.


Clicando-se nos valores, aparecem as opções de pagamento


Que incluem: Cartão de crédito, boleto bancário, transferência bancária online e alguns serviços de e-wallet.

Vantagens da GOG.com

Algumas vantagens da GOG.com são: jogos sem DRM, que podem ser instalados quantas vezes o comprador quiser, podem ser guardados em DVD, enfim, se é o dono dos jogos comprados.
Muitas promoções, a GOG.com tem promoções relâmpago e de fim de semana, e, alguns jogos gratuitos. Mas, uma das maiores vantagens da GOG.com é a sua biblioteca de jogos, sem os entraves do DRM, mesmo os jogos que não são nativos para Linux, podem ser instalados via Play-On-Linux(a maioria tem script de instalação), ou, são jogos de DOS que a GOG.com adapta para rodar nas plataformas Windows e MacOSX, sendo facilmente adaptáveis para rodar no DOSBOX no nosso querido sistema operacional Linux.
Então, o que a primeira vista parece uma boa seleção de títulos nativos para Linux, se expande em muito mais títulos, tanto os de windows quanto os de DOS, que podem rodar via DOSBOX ou Play-On-Linux.

Eu vou fazer umas análises de alguns jogos que GOG.com tem à venda para Linux, pois eles têm clássicos, com preços muito atraentes.

Até lá, e divirtam-se com a GOG.com!

Sds,



terça-feira, 30 de agosto de 2016

Instalando o VSDC no PCLinuxOS

O VSDC é um editor de vídeo criado pela Flash Integro LLC, que possui uma versão Free, grátis, e, com o pagamento de uma taxa de US$19,99, é registrado pelo período de um(01) ano, podendo ser instalado em duas máquinas.
Nosso interesse, no entanto, é na versão Freeware, que apresenta muitos recursos, efeitos, transições, efeitos de texto e animações. E, principalmente, como fazê-la funcionar no PCLinuxOS facilmente.

Quais seus recursos?

O programa é indicado para edição de vídeo digital e arquivos de áudio em vários formatos, incluindo  alta definição e ultra-alta definição, oferece efeitos profissionais de pós-produção, bem como a capacidade de capturar vídeo a partir da tela, gravar voz, gravar discos, salvar arquivos multimídia para um número de formatos suportados e publicá-los em onedrive, Facebook, Vimeo, YouTube e Flickr. Alguns de seus recursos não funcionam no Linux, por ser um programa nativo da plataforma Windows.

Seus formatos de importação suportados são:

  • formatos de vídeo: AVI, QuickTime (MP4 / M4V, 3GP / 2G2, formato Quicktime Arquivo), HDVideo / AVCHD (MTS, M2TS, TS, MOD, TOD), Windows Media (WMV, ASF, DVR-MS), DVD / VOB , VCD / SVCD, MPEG / MPEG-1 / DAT, Matroska vídeo (MKV), real Media vídeo (RM, RMVB), flash vídeo (SWF, FLV), DV, AMV, MTV, NUT, H.264 / MPEG 4, MJPEG, H265 / HEVC.

  • Formatos de áudio: MP3 / MP2, WMA, M4A, AAC, FLAC, Ogg, RA, RAM, VOC, WAV, AC3, AIFF, MPA, AU, APE, CUE, CDA, FLAC.

  • Formatos de imagem: BMP, JPEG / JPG, PNG, PSD, GIF, ICO, CUR.

E, seus formatos de exportação são:
  • Formatos de vídeo: AVI, DVD, VCD / SVCD, MPEG, MP4, M4V, MOV, 3GP / 3G2, WMV, MKV, RM / RMVB, FLV, SWF, AMV, MTV

  • Formatos de áudio: MP3, M4A, AAC, OGG, AMR, WAV

  • Formatos de imagem: BMP, JPEG, PNG, GIF

Quais as diferenças da versão Free para a versão PRO ?
    Do site da Flash Integro: “Ambas as soluções oferecem uma suíte de edição multimídia completa. VSDC Pro Video Editor fornece mais opções para profissionais de edição de vídeo: configurações avançadas de parâmetros spline e redimensionamento, maior resolução subpixel, múltiplas cores de chroma key, aceleração de hardware e suporte técnico priorizado. A solução VSDC Editor Free Vídeo é destinada apenas para necessidades caseiras e educacionais. O uso comercial está disponível através da compra de assinatura do  VSDC Pro Vídeo Editor.

Agora, a parte que nos interessa: Como instalá-lo no Linux, e, mais especificamente, no PCLinuxOS.

Ingredientes:

Você vai precisar: Play On Linux e ,mais alguns arquivos, que serão baixados do site http://manualinux.eu

Na verdade, neste site, há um tutorial de como fazer o VSDC funcionar no Linux, porém, eu adaptei o processo para o POL, o que tornou muito mais fácil o procedimento.

Bem, vamos à receita de bolo:

  1. Baixe o arquivo video_editor.exe, do link http://www.videosoftdev.com/services/download.aspx?ProductID=1

  1. Abra o POL

  1. Clique em Instalar um Programa

  1. Clique Instalar um programa não listado
  1. Clique Avançar,  Avançar,  Avançar até chegar a tela de instalação manual

  1. Clique em Instalar um programa em uma unidade virtual nova

  1. Crie a unidade virtual nova, e, dê um nome a ela. Eu chamei de VSDC.

  1. Na tela seguinte, marque Configurar o Wine / Instalar algumas bibliotecas. Depois, clique Avançar.

  1. Agora, configure o Wine para Windows XP – Clique em Ok e siga adiante.

  1. No assistente de instalação de DLL`s, clique em POL_Install_gdiplus e depois clique em POL_Install_msxml3

  1. Clique Avançar

  1. Selecione o arquivo  video_editor.exe para começar a instalação

  1. Proceda a instalação do programa normalmente, com o next, next, finish dos aplicativos Windows e, aceite os termos da EULA.

  1. Depois de proceder a instalação, não marque a opção Executar o programa ao fim da instalação, pois vai dar erro.

  1. Siga o processo do POL, e, escolha o ícone para criar o lançador. Escolha VideoEditor.exe

  1. Clique Avançar, Avançar e quando pedir para criar um novo atalho, marque “Eu não quero criar um novo atalho”. Com isso, a instalação termina. Mas, o processo segue adiante.

  1. Baixe os seguintes arquivos, do site http://manualinux.eu : http://manualinux.eu/config/wine/VSDC.reg

  1. Abra o gerenciador de arquivos em /home/~user/.PlayOnLinux/wineprefix/VSDC/drive_c/windows/system32
E descompacte as duas DLL’s ole32.7z e oleaut32.7z nesta pasta. Vai pedir confirmação para reescrever os arquivos. Clique em reescrever todos e feche o gerenciador de arquivos.

  1. Agora, no gerenciador do  POL,  assinale o programa VideoEditor e clique em Configurar.

  1. Clique em Editor de Registro, clique em Registro, Importar Arquivo de Registro

  1. Importe o arquivo VSDC.reg, que foi baixado anteriormente e feche o Regedit.

  1. No configurador do POL, clique na aba Exibir

  1. Na opção Direct Draw Renderer, selecione gdi. E feche o configurador do POL.
Agora, clique no ícone  VideoEditor, na sua área de trabalho, e o programa começara a funcionar.





Assim, você terá mais uma opção para edição de vídeo no PCLinuxOS.  O programa é bastante bom, bem rápido na exportação do vídeo e suporta muitos formatos. A interface é baseada na Ribbon, do MS Office, que não é das mais intuitivas, mas, uma vez que se pegue o jeito do programa, é possível criar bons vídeos, com uma ampla gama de efeitos, de forma rápida.

O texto deste artigo foi adaptado de http://manualinux.eu/vsdc.html


Espero que gostem e produzam bons vídeos com o programa.


Sds,











terça-feira, 2 de agosto de 2016

Estendendo a vida útil do Google Chrome no Linux 32 bits

  
A Google encerrou seu suporte ao Chrome, no Linux em 32 bits. E, se você tentar usá-lo, por mais tempo, não poderá mais acessar os serviços da própria Google (You Tube, Gmail, Google search, e etc…), pois, os certificados de SSL não serão mais válidos. E, você terá uma tela como a de cima.
    Interessantemente, é possível acessar qualquer outro site e, é uma opção deliberada da Google em terminar o Chrome para Linux, através dessa Kill switch, afinal, hoje em dia, a Google está tão entranhada na infraestrutura da internet, que é difícil de escapar dela.
    Apenas para ilustrar, tente acessar as configurações de seu Chrome para Linux 32 bits, e, acesse a seção avançada, HTTP/SSL, gerenciar certificados. Deverá aparecer algo como a figura abaixo:


Clicando-se em qualquer dos domínios da Google, invariavelmente, vão aparecer como expirados, o que explica a recusa no acesso de qualquer dos serviços Google.
No entanto, é possível estender a vida útil do Chrome no Linux 32 bits, seja para assistir Netflix, ou jogar algum jogo em Flash do Facebook.
Como ? Há uma opção de mudar o protocolo de segurança para TLS 1, de forma a fazer o Chrome acessar sites com certificados SSL .
    Para tanto, é necessário invocar o Google Chrome com a opção –ssl-version-max=tls1.

Assim, ficaria /usr/bin/google-chrome-stable %U –ssl-version-max=tls1

    Fazendo isso, o Google Chrome voltará a funcionar, mesmo com os certificados SSL vencidos.
  
    E, para automatizar o processo, para que não haja mais problemas com Chrome, é necessário mudar o seu arquivo .desktop.
    O arquivo .desktop está localizado em /usr/share/applications, e, chamado google-chrome.desktop
    Edite-o com um editor de texto plano, como root, ache todas as linhas com

    Exec=/usr/bin/google-chrome-stable %U
  
    E substitua por

    Exec=/usr/bin/google-chrome-stable %U –ssl-version-max=tls1

    Faça isso, salve, e, observe o Google Chrome voltar a funcionar.

    Nota: tenha atenção ao usar uma versão antiga do Google Chrome, já que vulnerabilidades de segurança não serão corrigidas.


    E, divirta-se com o seu Google Chrome no Linux 32 bits.